Racha na L4 Sul provoca a morte de duas pessoas Três veículos disputavam corrida um quarto foi atingido. Neste automóvel estavam as vítimas, um homem e uma mulher


Um homem e uma mulher morreram em um grave acidente na L4 Sul próximo à entrada da Ponte das Garças na noite deste domingo (30/4). Segundo informações do Departamento de Estrada de Rodagem do DF (DER-DF), uma testemunha relatou que a tragédia foi provocada por três carros: uma Land Rover Evoque, um Chevrolet Cruze e um Volkswagen Jetta, que disputavam um racha. O Jetta colidiu com um Fiesta vermelho, onde estavam as vítimas e outras duas pessoas, que precisaram ser hospitalizadas.

Por volta das 23h, os bombeiros divulgaram o nome das vítimas: Cleuza Maria Cayres, 69 anos, e Ricardo Clemente Cayres, 46. Ambos estavam no banco traseiro, com cinto de segurança. Os outros ocupantes eram Elberton Silva Quintão, 37, e Osvaldo Clemente Cayres, 72. Os dois foram levados ao Hospital de Base desorientados. Por volta das 22h30, os corpos foram retirados das ferragens.

A Polícia Civil suspeita que os condutores dos veículos estavam sob efeito de álcool. Os motoristas que disputavam corrida teriam passado a tarde se divertindo em um clube e em uma lancha no Lago Paranoá.

Segundo o coordenador de equipe noturna do DER-DF, Márcio Alves, uma mulher dirigia o Cruze. Ao ser detida, ela informou ser parente do homem e da mulher que estavam no Jetta — únicos a fugir do local. Os ocupantes da Land Rover e do Cruze foram levados à 1ª DP (Asa Sul).

“A Land Rover Evoque era conduzida por um militar do Corpo Bombeiros, com sinais de embriaguez.  A condutora do Cruze também tinha sinais de ter bebido. Pedi o teste do bafômetro, mas eles recusaram”, afirmou.

O acidente ocorreu por volta das 19h30, próximo à Associação dos Servidores do STJ (ASSTJ). Segundo o Corpo de Bombeiros, o carro onde estavam as vítimas saiu da pista ao ser atingido e colidiu um uma árvore. O veículo chegou a capotar.

 De acordo com o diretor-geral do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), Silvain Fonseca, “uma viatura fazia o patrulhamento perto do local do acidente. Um motociclista parou e relatou o que viu”.
Anterior Administrador Recanto das Emas coloca a mão na massa
Próximo Primeiro registro de campanha mostra doação de empreiteiras