FURUKAWA DESENVOLVE SISTEMA IOT PARA MONITORAR FIBRA ÓPTICA | Blog do DÉLIO ANDRADE
24.5 C
Brasília
sexta-feira, 18 junho, 2021
spot_img

FURUKAWA DESENVOLVE SISTEMA IOT PARA MONITORAR FIBRA ÓPTICA



Hoje, o sistema está sendo utilizado em 37 cidades brasileiras pela operadora de rede neutra Phoenix e visa restabelecer a conexão da rede de forma rápida por economizar tempo na detecção e diagnose da falha.

A Furukawa desenvolveu um sistema que utiliza tecnologia de internet das coisas (IoT) para monitorar e controlar os processos em rede de fibra óptica. O produto tem como público alvo as operadoras de telecomunicações e prestadores de serviços de internet (ISPs). O sistema faz parte do portfólio da marca FI²S, Furukawa IoT for Industry System, lançada neste ano. Atualmente, a solução está sendo utilizada pela operadora de rede neutra, Phoenix, em 37 cidades brasileiras.

 

“O objetivo é ajudar a restabelecer o serviço mais rapidamente em caso de falha, por meio da redução do tempo gasto nos processos de notificação e detecção do problema e de diagnose”, afirmou Daniel Blanco, gerente de Engenharia de Inovação da Furukawa.

O sistema conta com sensores, conectividade e software de gestão de rede. “Um dos sensores é colocado na caixa de emenda e mede a potência óptica, o que permite saber em tempo real se houve rompimento ou degradação do sinal da fibra”, explica Blanco. “Outro sensor mede variáveis como temperatura, aceleração e luminosidade, indicando o status do ativo instalado na rua; por exemplo, se o armário foi aberto.”

As informações dos sensores passam por um gateway e chegam ao software de gestão de rede via conexão wireless padrão LoRaWAN – link de comunicação de longo alcance e baixo consumo de energia (LPWAN) utilizado em aplicações IoT. O software de gestão possibilita a visualização dos ativos da rede e da região afetada pelo problema.

Depois da detecção da falha o próprio sistema localiza o técnico mais perto da região onde ocorreu o problema.  “Além disso, o sistema oferece dados estatísticos e analíticos da rede, dos técnicos, mapa de calor das regiões onde os problemas ocorrem com maior frequência”, diz o gerente da Furukawa. (Com assessoria de imprensa)

 

- Publicidade -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Últimas notícias